Empreendedor acelerado pelo Seed leva Brasil para Alemanha
Publicado: 24/04/2017 15:06

Foto/Divulgação: SEED
Foto/Divulgação: SEED

Acelerado pelo SEED - Startups and Entrepreneurship Ecosystem Development na terceira rodada, o fundador e CEO da startup Residuall, Luiz Grilo, vai representar o Brasil no Programa Internacional Global Student Entrepreneur Awards (GSEA), entre os dias 27 e 29 de abril, em Frankfurt, na Alemanha. A competição anual entre empreendedores estudantis visa selecionar, avaliar e premiar as melhores práticas empreendedoras de universitários.

Cinquenta estudantes disputarão um prêmio de U$20 mil e concorrerão a U$40 mil em mentorias, consultorias e serviços. Os responsáveis pela competição serão os empreendedores mundiais membros da Entrepreneurs' Organization (EO). Cada país tem um representante e eles precisam reunir diversas características para serem aceitos, como ter espírito empreendedor e resiliência.

Para chegar à final, o estudante da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) Luiz Grilo teve que passar por três fases no processo de seleção. A primeira foi a contemplação de sua inscrição; a segunda, a vitória na seletiva estadual de Minas Gerais, que aconteceu no SEED no fim do ano passado; e a terceira foi a etapa nacional, que aconteceu no Rio de Janeiro. Cada estudante conta com mentores, nacionais e internacionais, os quais ajudam na preparação para o evento e no desenvolvimento do seu negócio.

Na Alemanha, como CEO da Residuall - empresa que tem o propósito de Cuidar do Lixo do Mundo, Grilo terá a oportunidade de apresentar sua trajetória empreendedora e realizar parcerias com os outros competidores e membros da rede EO, composta por grandes empresários e investidores de diversos países. A programação do evento também contará com treinamentos para aperfeiçoar as habilidades empreendedoras dos estudantes e mentorias com membros dessa rede global.

O campeão brasileiro, Luiz Grilo, é da cidade de Pindamonhangaba (SP), mas tem o coração mineiro. Segundo ele, “Minas Gerais conta com várias oportunidades que garantem suporte a todos que desejam empreender e foi graças a esses incentivos que consegui fundar minha primeira empresa”. Além disso, salientou a importância dos projetos de aceleração que participou no estado, como o SEED, que é um programa do Governo do Estado de Minas Gerais, e os Startup Tech, Lemonade e Techmall.

Para Grilo, os incentivos dados pela UFMG, principalmente pelos professores, como por exemplo a Prof. Carmela Polito Braga (Coordenador do curso de Engenharia de Controle e Automação), foram fundamentais para possibilitar que ele colocasse em prática sua ideia. "Hoje, tenho a oportunidade de representar o Brasil em uma competição mundial graças ao apoio que recebi da universidade desde que ingressei. Além disso, a participação no Movimento Empresa Júnior, por meio da Consultoria e Projetos Elétricos Júnior (CPEjr), foi crucial para despertar minha visão empreendedora.

Para o jovem empreendedor, “o Governo do Estado de Minas Gerais também foi essencial ao oferecer o financiamento necessário para tornar a Residuall uma empresa", afirma. Grilo também acredita que o empreendedorismo é algo fundamental para o país e que através dele é possível encontrarmos propósitos que nos inspirem a empreender. “No Brasil, temos diversas oportunidades para empreendermos e, com o fácil acesso à informação e à tecnologia, temos cada vez mais ferramentas para inovar. Recebi muitos 'nãos' durante toda a minha trajetória na Residuall. Com isso, aprendi a ser mais resiliente e nunca deixar de acreditar no meu propósito", completa.

O que começou apenas como um projeto acadêmico que possuía o objetivo de resolver o problema de gestão de resíduos da própria universidade, acabou se tornando uma empresa inovadora e com o objetivo de resolver um dos maiores problemas do Brasil. De acordo com Luiz Grilo, seu maior orgulho é ver que todos da sua empresa acreditam nesse propósito e não se importa quando as pessoas dizem que ele sonha muito alto. Segundo ele, “Ninguém chega longe pensando pequeno e o problema que a sua startup tenta resolver precisa ser pensado de forma global”. O estudante embarca nesta segunda-feira (24) para Frankfurt e espera trazer esse título inédito para o Brasil.