Governo de Minas atrai mais de R$ 4,8 bi em investimentos nos primeiros cinco meses do ano
Trabalho do governador Romeu Zema para retomar crescimento econômico do Estado promoveu geração de mais de 3,7 mil novos empregos
Publicado: 06/06/2019 17:12 | Atualizado: 17/06/2019 17:36
Renato Cobucci/Imprensa MG Renato Cobucci/Imprensa MG

Nos cinco primeiros meses da gestão do governador Romeu Zema, o Governo de Minas Gerais atraiu mais de R$ 4,8 bilhões em novos investimentos para o Estado, com a expectativa de criação de cerca de 3,7 mil empregos. O valor é aproximadamente oito vezes superior ao montante do investimento atraído no mesmo período de 2018. Segundo Zema, a nova gestão está conseguindo resgatar a confiança dos investidores no projeto de recuperação e desenvolvimento econômico de Minas Gerais.

De acordo com a Agência de Promoção de Investimento e Comércio Exterior de Minas Gerais (Indi), de janeiro a maio deste ano, foram confirmados 16 projetos de investimentos no estado, totalizando R$ 4,835 bilhões em novas aplicações. Já entre os meses de janeiro e maio de 2018, o montante alcançado foi de R$ 587 milhões.

Romeu Zema ressalta que uma das prioridades de sua gestão é buscar novos investimentos para o estado para retomar o crescimento econômico. “Queremos simplificar a vida de quem trabalha, e é o que o governo tem feito. Estamos criando um ambiente que deixe o investimento imune às interferências políticas, que é o que o mercado financeiro procura. Temos que deixar o investidor confiante de que aqui em Minas as regras serão respeitadas, que ele vai ser atendido prontamente”, afirma.

O governador lembra, ainda, a criação de um grupo na Secretaria de Estado de Fazenda (SEF) para estudos de simplificação na legislação do ICMS, além de outras análises para tornar a legislação ambiental mais ágil e eficiente. “Temos atraído várias empresas, muitas têm se instalado, ampliado sua capacidade de produção. Estamos criando empregos na contramão do país como um todo. Isso tem a ver com a nossa disposição de escutar quem produz e quem trabalha. Estamos atentos e queremos um ambiente de negócios que não atrapalhe quem produz. Com muito trabalho, esforço e união de vários segmentos da sociedade vamos conseguir tirar Minas do vermelho”, ressalta.

Entre os novos empreendimentos e expansões, programados para diversas regiões do estado, estão os de bebidas, embalagens, siderurgia e construção. O secretário de Desenvolvimento Econômico, Manoel Vitor de Mendonça, destaca que os desafios ainda são inúmeros, mas a confiança em um governo comprometido, liberal e que respeita a iniciativa privada já registra números positivos.

“O efeito da entrada do governador Zema, de tudo aquilo que foi veiculado durante o período da campanha, de toda a forma como a gente vem trabalhando pró-empresário, pró-investimento, fazendo um trabalho intenso para buscar a atração desses investimentos, está resultando nesses reflexos”, destaca o secretário.

Cervejarias

Minas Gerais, que tem se tornado importante polo cervejeiro no país, principalmente na produção de cervejas artesanais, foi escolhida para abrigar a nova fábrica do Grupo Petrópolis. A cervejaria será instalada em Uberaba, no Triângulo Mineiro, e tem previsão de ser inaugurada já no próximo ano. Com investimentos de R$ 700 milhões, a expectativa é de que 400 postos de emprego direto sejam criados.

Além de seis marcas de cerveja, o Grupo Petrópolis também produz refrigerante, energético, água mineral, e vodca, entre outros produtos. Com a nova unidade no estado, o grupo também vai investir na ampliação da rede de distribuição. A ampliação incentiva as contratações na região que abrigará a construção, e proporcionará crescimento orgânico da companhia.

Ainda no Triângulo Mineiro, em Frutal, a Cervejaria Cidade Imperial também assinou o projeto de investimentos para a ampliação de sua fábrica. Serão investidos R$ 250 milhões, com a geração de cerca de 350 empregos.

Expansões

Entre os investimentos para a expansão de empreendimentos já existentes em Minas está o do Grupo Simec, que prevê a aplicação de R$ 1,3 bilhão no estado nos próximos dois anos. O projeto prevê a ampliação da unidade em Itaúna, na região Centro Oeste, e a ampliação de negócios nas áreas de laminação, trefilação e lingotamento contínuo. A expectativa é de criação de 460 empregos diretos.

Em disputa com outros países, Minas Gerais conquistou a ampliação da fábrica de motores da FCA Fiat Chrysler Participações/Automóveis Brasil para a ampliação de sua fábrica de motores em Betim, na região metropolitana da capital. O projeto resultará em R$ 500 milhões em investimentos e elevação de 1,2 mil empregos. Esse montante é um aditivo aos R$ 8 bilhões anunciados anteriormente pela companhia e que começam a ser implementados a partir de agora.