Perspectivas de negócios avançam em encontro entre Sede e comitiva sul-coreana
Na reunião, coordenada pela subsecretária Kathleen Garcia, foram apresentados projetos que o Governo possui nas pautas de energia, logística e mineração
Publicado: 26/11/2021 12:19
Foto: Divulgação Sede Foto: Divulgação Sede

O Governo de Minas, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico (Sede), avança em prospecções globais com o objetivo de atrair investimentos para o Estado e gerar mais emprego e renda aos mineiros. Em função disso, foi realizada, na tarde de quarta-feira (24/11), no prédio Gerais da Cidade Administrativa, reunião com gestores da Sede e uma delegação diplomática e empresarial da Coreia do Sul.

No encontro, capitaneado pelo adido comercial da Embaixada da República da Coreia, Hyunjin Kim, que estava acompanhado da assessora técnica Larissa Feitosa, e pela subsecretária de Promoção de Investimentos, Cadeias Produtivas (Subinvest), Kathleen Garcia, foram apresentados pelos gestores da Sede projetos e ações relacionados aos setores de energia, logística e mineração para os empresários sul-coreanos.

Parceria

Além de estabelecer contatos iniciais para a apresentação de projetos do Governo de Minas, a visita criou oportunidades de incremento do intercâmbio comercial entre Minas Gerais e Coréia do Sul, de acordo com a subsecretária Kathleen Garcia, que também salientou o interesse dos empresários e diretores da Korea Development Bank, Korea Trade Insurance Corporation e Posco International em realizar efetiva parceria com o Governo de Minas e estabelecer seus negócios no estado.

“A reunião com a delegação Sul Coreana foi muito produtiva. Pudemos esclarecer a diretriz do atual governo Zema, muito bem executada pela gestão do secretário Fernando Passalio, no que diz respeito ao acolhimento às empresas que querem produzir, investir, gerar negócios e empregos em Minas Gerais. Nesse contexto, ficou claro o interesse por parte da Coreia do Sul em aprofundar em áreas de concessão do Estado, como rodovias e ferrovias, bem como empresas na área de mineração”, enfatizou Kathleen Garcia.

Atração de investimentos recorde

Para reforçar o ciclo virtuoso de atração de investimentos realizado pelo Governo de Minas, o diretor de Atração de Investimentos da Agência de Promoção de Investimento e Comércio Exterior de Minas Gerais (Indi), Ronaldo Barquette, apresentou os números recordes da agência, que atingiu R$ 58,2 bilhões em volume de atração de investimentos em Minas Gerais, no curto período de nove meses – de janeiro a setembro deste ano –, superando o recorde anual de R$ 56 bilhões alcançado em 2019. “Os maiores setores de atração de investimentos do estado são energia (35,6%), seguido por mineração, (23%) e automotivo e autopeças (17%), entre outros setores”, acrescentou o gerente de Comunicação Social e Institucional da Agência de Promoção de Investimento e Comércio Exterior de Minas Gerais (Indi), Carlos Romualdo.

Potenciais negócios

Com foco em estabelecer potenciais negócios e oportunidades de criação de mais empregos, assim como a atração de investimentos para o Estado, o superintendente de Política Minerária, Energética e Logística da Sede, Marcelo Ladeira, ressaltou o potencial mineral de Minas Gerais e a importância do Plano Estadual de Mineração (PEM), instrumento de orientação de políticas para o setor mineral que foi elaborado pela equipe da Diretoria de Mineração, em 2020, e passará por atualizações periódicas.

Já a diretora de Desenvolvimento Logístico, Renata Muinhos, abordou aspectos relacionados ao contexto de transporte rodoviário, ferroviário e aéreo do estado e enfatizou a localização estratégica de Minas Gerais, que também possui a maior indústria siderúrgica do país, com unidades produtivas operadas por importantes fornecedores do setor ferroviário, como Usiminas Mecânica, Gerdau e Vallourec. “Três importantes concessionárias ferroviárias operam em Minas Gerais: Vale, VLI e MRS, além disso o estado abriga a segunda maior malha ferroviária do Brasil, com quase a mesma extensão de São Paulo, que ocupa o primeiro lugar. A quantidade de cargas transportadas por ferrovias no estado (Toneladas Úteis - UT) e a vazão da rede (Toneladas Úteis por Quilômetro - TKU) representam 40% e 28%, respectivamente, do total nacional”, afirmou Renata.

Ao final da reunião, comitiva se interessou por setores estratégicos de Minas Gerais, podendo ter consolidado uma efetiva parceria entre o Governo de Minas e a comitiva sul-coreana. “Pode-se considerar um pontapé inicial no estreitamento das relações entre Coréia do Sul com Minas Gerais, uma vez que já ficou acertado que será criado um canal de comunicação com a embaixada a fim de subsidiar informações relevantes para que empresários sul-coreanos possam participar de processos licitatórios, promover investimentos em nosso Estado e intensificar as relações comerciais”, conclui a subsecretária Kathleen Garcia.