Circuito Mineiro de Oportunidades e Negócios possibilita parcerias lucrativas
Edição presencial do evento aconteceu, na última quarta-feira (22/9), na sede da Amipão, e envolveu micro e pequenos empreendedores
Publicado: 28/09/2021 09:52 | Atualizado: 28/09/2021 16:14
Foto: Divulgação / Sede Foto: Divulgação / Sede

A primeira edição presencial do Circuito Mineiro de Oportunidades e Negócios (CMON), durante a pandemia de Covid-19, aconteceu na última quarta-feira (22/9), na sede da Amipão, em Belo Horizonte, e apresentou resultados animadores para quase 80% das empresas de micro e pequenos empreendedores, que conseguiram alavancar algum tipo de acordo com fornecedores. Além disso, 36% das empresas efetuaram mais de três negociações com compradores diferentes.

A análise positiva do evento, de acordo com a diretoria de Apoio aos Pequenos Negócios e Cooperativismo, Eneila Loiola, ocorreu em função do impulso na formação de parcerias lucrativas entre os setores envolvidos e os pequenos negócios de fornecedores.  “O CMON é extremamente vantajoso para as empresas participantes por propiciar a geração rápida de negócios, bem como perspectivas de negócios futuros. Além disso, o evento é uma oportunidade excelente para criar uma rede de contatos", destaca Eneila.

Realizada pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sede) em parceria com a Associação Mineira da Indústria de Panificação (Amipão), a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes em Minas Gerais (Abrasel) e com o apoio da Emater, essa edição do CMON apresentou um incremento no mix de produtos para as padarias e também um leque de fornecedores diferenciados para o setor de bares e restaurantes, possibilitando realização de negócios futuros.

Que o diga a proprietária dos produtos artesanais DaMorena, de Cataguases, na Zona da Mata mineira, Simone Rezende, que fabrica geléias, antepastos, molhos, sardela italiana e tomate seco. "Tivemos a oportunidade de apresentar nossos produtos, realizamos degustações e interagimos com nossos clientes. Esses aspectos são muito importantes para iniciarmos negócios e prospectar vendas", conta a microempreendedora.

Já a proprietária da empresa belo-horizontina Delicerie, Sara Cardoso, destaca a importância da troca de experiências com os produtores participantes. Integrante desde 2018 das edições do CMON, ela já apresentou seus doces artesanais a grandes redes e hoje é fornecedora de varejistas de peso na capital.

“Apesar de ter participado da edição online de 2020, os contatos feitos na ocasião não foram tão bons quanto os presenciais dessa edição Saí de lá com vários contatos que podem virar futuros parceiros de negócios como fornecedores", afirma Sara.  Participaram ainda dessa edição do circuito, cooperativas de café, farinhas e castanhas, que contam, respectivamente, com 200 e 280 famílias em suas composições.