BDMG é primeiro banco de desenvolvimento do país a ter assento na Rede Brasil do Pacto Global da ONU
A atuação do banco no fomento ao desenvolvimento sustentável tem se fortalecido cada vez mais.
Publicado: 22/02/2021 12:00
Foto: Deposit Photos Foto: Deposit Photos

Depois de ter sido reconhecido como signatário do Pacto Global da ONU e ter financiado, em Minas Gerais, mais de R$ 1,6 bilhão em projetos com viés sustentável durante 2020, o Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG) está ampliando seu engajamento nas principais agendas globais de desenvolvimento sustentável. O presidente da instituição, Sergio Gusmão, acaba de ser apontado como membro do Conselho Orientador da Rede Brasil (CORB), entidade vinculada à ONU que representa o Pacto Global no Brasil. Assim, o BDMG torna-se o primeiro banco de desenvolvimento brasileiro a ter um assento na entidade. 

A Rede Brasil do Pacto Global é responsável por reunir o setor empresarial para atuar em ações de impacto mensurável sintonizadas com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), preconizados pela ONU. Seu Conselho Orientador é formado por lideranças articuladas em apoiar a evolução dos modelos de negócios sustentáveis e a implementação de projetos em parceria. 

O presidente do BDMG também foi nomeado o 13º integrante do programa ‘Liderança com Impacto’, também idealizado pela Rede Brasil do Pacto Global – ONU. A iniciativa  –  que reúne os principais executivos de grandes empresas brasileiras – visa posicionar lideranças empresariais como agentes mobilizadores da sustentabilidade dentro de suas organizações, no relacionamento com sua cadeia de valor, com governos e com a sociedade em geral. O banco é o primeiro a ter assento no seleto grupo, e tem a missão de ser o porta-voz do ODS 8 (“Trabalho Decente e Crescimento Econômico”) nas discussões, articulações e proposições.  

“Acredito que a mobilização de um amplo conjunto de atores – públicos e privados – trabalhando de forma cooperativa e pragmática, associada à utilização de instrumentos técnicos e financeiros adequados, nos permitirá acelerar nossa trajetória com vistas a um modelo desenvolvimento mais sustentável”, avalia Sergio Gusmão. 

Sustentabilidade no foco 

A atuação do BDMG no fomento ao desenvolvimento sustentável tem se fortalecido. No ano passado, 57% (R$ 1,6 bilhão) de todos os financiamentos do BDMG para os setores público e privado estiveram associados a pelo menos um dos 17 ODS. Em 2019, esta parcela era de 38%.  

Em destaque, os desembolsos de R$ 97,8 milhões para projetos de energia renovável (especialmente fotovoltaica) foram superiores em 67% aos de 2019. Quando em operação, estes projetos permitirão um aumento de 32 MW na capacidade instalada de energia em Minas Gerais, o suficiente para suprir o consumo de mais de 28 mil domicílios/ano e evitar a emissão de mais de 6.000 t CO2e/ano. 

Pacto Global 

Lançado em 2000 pelas Nações Unidas, o Pacto Global é uma chamada para as empresas alinharem suas estratégias e operações a dez princípios universais nas áreas de Direitos Humanos, Trabalho, Meio Ambiente e Anticorrupção e desenvolverem ações que contribuam para o enfrentamento dos desafios da sociedade.  

Trata-se, hoje, da maior iniciativa de sustentabilidade corporativa do mundo, com cerca de 14 mil membros em 70 redes locais, que abrangem 160 países.